Conexão Digital e Desconexão Física

por Reinaldo Teles

É um fato que todo e qualquer pessoa/profissional precisará tomar consciência que não há mais a possibilidade de ficar desconectado. 

Vivemos a evolução desse movimento de forma galopante, e nos dias de hoje, esta se tornou a forma mais ágil de se fazer presente e sem ela, nos tornamos obsoletos e condenados ao esquecimento. Como diz o ditado: “quem não é visto, não é lembrado” e atualmente não há lugar melhor e mais democrático que o universo digital para se fazer PRESENTE.

Simplesmente, nesta década, se institucionalizou, como uma lei, fazer parte deste movimento. E como tudo sempre tem um bônus e um ônus, neste cenário de conectividade não seria diferente, pois estamos 24hs expostos a tudo, o tempo todo. A conectividade tornou-se sinônimo de digital e vice-versa. 

Através dela, nossos momentos e sentimentos são transmitidos simultaneamente em escala global. Desde de um simples meme, enviado para dar um bom dia e alegrar a vida de alguém, até uma grande notícia que rapidamente viralizou e ressoa no mundo todo. A imagem de um monumento em chamas, capaz de gerar uma comoção generalizada, por exemplo, assim como vídeos de pessoas escapando de atropelamentos e ou de pacientes recebendo alta de Covid-19 trazem emoções e nos transportam para sensações diversas… 

Como podemos perceber, através de fontes renomadas de pesquisa, hoje temos mais de 29 bilhões de aparelhos conectados. Isso é 3 vezes mais que a população mundial e em breve, com a evolução tecnológica digital que estamos sofrendo, teremos mais de 75% da população conectada. Consequentemente, a velocidade com que geramos mais e mais conexões e comunicações também irá disparar, e com isso, os índices de percepção e contágios emocionais digitais (phygital) também irão crescer no mesmo ritmo – como em várias citações: somos imagem e semelhança uns dos outros. Estaremos sempre passando por diversos impactos no comportamento, pois a tendência de replicarmos e imitarmos uns aos outros é descomunal. 

Vivemos em um oceano de informações. Você já mensurou quantas horas gasta por dia navegando à deriva nas redes sociais? A interação faz parte da natureza humana, somos seres sociais! Gostamos de acompanhar as notícias, saber o que as pessoas estão fazendo e pensando, nos divertirmos e nos emocionarmos. Mas, temos noção de quanto tempo nos custam essas distrações? A conectividade nos trouxe muitas soluções para vida prática, porém, vale lembrar que a diferença entre o remédio e o veneno é a dose administrada.   Será que estamos aproveitando esses recursos tecnológicos de maneira inteligente ou estamos apenas a passeio? A internet é uma grande vitrine, na qual temos a oportunidade de nos expor ao mundo.  E você? Já pensou qual imagem quer refletir e propagar? Como é a sua CONEXÃO com as pessoas? Conte para nós, adoraríamos nos conectar com você! 

Fonte: Paula Escobar

Você pode gostar

Deixe um comentário